16 de março de 2010

Eu culpo-me

Torna-se problema quando sou eu a querer continuar amar-te. Posso ter reunido todas as condições necessárias para te esquecer, mas nem assim sinto-me capaz o fazer. Se me magoar, eu culpo-me, se me desiludir, eu culpo-me e se perder quem me ama, eu culpo-me de igual forma! Só a mim me posso culpar, a tudo que eventualmente poderá acontecer. 
Continuar amar-te poderá ser um erro, mas a insistência em o fazer tornou-se inevitável. Dorme comigo esta noite, olha-me nos olhos uma ultima vez e diz-me pelo silêncio o caminho que tenho a seguir! Posso estar a tornar-me um otário, mas eu pressinto, e tu sabes, que a nossa história  ainda não chegou ao fim.

Só no dia em que conseguir ler o nosso histórico sem chorar é que admito ter deixado de te amar.

22 comentários:

Litos Cardoso disse...

Como te compreendo edgar, principalmente hoje :S

SaraSerrano disse...

identifiquei me imenso, com uma situação passada. até essa parte do historico, doi mesmo olhar para o que já fomos e ja nao.
mas força , porque o tempo é o nosso grande grande amigo*

Lu disse...

uou, a ultima frase :$
força ;D

acatarinamaçuca disse...

Fizeste-me vir ao blogue para me actualizar e deparei-me com isto. Ainda é difícil ver que continuas assim tão em baixo, meu príncipe. Mas sabes, sei muito bem o que é isso e é como alguém aqui em cima já disse. Só o tempo é que fará as coisas mudar. Mesmo assim, o tempo não apaga de forma alguma aquilo que ambos viveram, meu amor :3 Força nisso «3

Catarina disse...

" aquilo que é realmente nosso nunca se vai para sempre ! " , força ! beijo *

ML disse...

hoje quero! o meu baú precisa disto, e eu também.

Maria disse...

musica <3

disse...

«posso estar a tornar-me um otário, mas eu pressinto, e tu sabes, que a nossa história ainda não chegou ao fim.» Pressinto o mesmo.

Ritinha disse...

que post lindo *-*
adorei mesmo !

tens tanto jeito ~ e essa música é das mais bonitas que conheço, muito bom gosto (L)

Marta disse...

Força nisso. aposto que és muito forte. ah e sim, também acho que me estou a tornar numa menina mesmo adorável, ahah

joana disse...

essa ultima frase, sei o que isso é $: consigo identificar-me tanto neste texto, nessa frase. Tens que conseguir, é a única coisa que te posso dizer. não acho de piada alguma as pessoas que metem "post lindo *-*" neste tipo de textos, não é questão de ser lindo ou feio, mas sim a maneira como demonstras o que sentes. Sim, esta mesmo bem escrito, mas é preferível dar força num texto destes, tens que acreditar que vais conseguir. Adoro a maneira como te expressas nestes textos

annie disse...

o texto está fantástico, dá para perceber bem o que 'ela' significa para ti, mesmo.
a música é fantástica, adoro!

Marina Fonseca disse...

está realmente fantástico :)

Isabel disse...

Gostei imenso do texto :)

ML disse...

mais uma vez, identifico-me na perfeição com este texto. a última frase... oh! como eu te percebo, Edgar! saí recentemente da mesma situação em que estás agora.
tenho a certeza que, quer escolhas lutar por ela, quer escolhas esquecê-la, vais suceder-te bem*
p.s. hoje, no final do meu treino de futsal, a primeira coisa que me veio à cabeça foi precisamente a música que tinhas no blog quando o crias-te e fiquei com uma enorme vontade de a ouvir. podes dizer-me como se chama? :$

Gotinha* disse...

nada do tem a ver com o amor será jamais simples. Sentimentos de culpa surgem a todas a hora, mesmo quando não deveriam ser sentidos. é duro.

Texto profundo (:

Anónimo disse...

se as tuas palavras fossem a minha mente, apenas teria de me esforçar por mexer os dedos e escrever o que aqui está. como eu te compreendo a ti (e tambem em relação a mim) ambos sabemos que um dia vai passar :) e sabes que estou cá para tudo

quanto à conversa sobre sermos capazes de escrever coisas filosoficas ou nao, esquece isso. porque um desabafo teu vale mais que qualquer paragrafo filosofico.

Abraço* R.

Filipe Correia disse...

a última frase é muito verdade, acredito que pra muita gente

lá love disse...

a verdade que transportas nas tuas palavras faz com que eu sinta aquilo que tu estás a sentir quando as escreves.
aquilo que é relamente nosso, a nós vem parar novamente! nunca deves ter aquilo que é teu preso, deixa andar livre, solto, leve; se for realmente teu nunca te vai deixar!

ST disse...

tens uma capacidade unica de me fazer chorar! o que é bom, ou talvez mal, nao sei bem, apenas sei que tambem eu me sinto uma otaria e queria te-lo junto a mim... o meu grande amor

JulianaNogueira disse...

A maneira como verbalizas o que te vai na alma envolve-me completamente os sentidos, admiro imenso a tua expressão escrita!

Mônica Ribeiro disse...

Quem passou pela vida em brancas nuvens,
E em placido repouso adormeceu;
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu,
Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida, não viveu.

Poema de Francisco Octaviano